Dicas matadoras para sair do vermelho!

Tempo de leitura: 4 minutos

como sair do vermelho

É bem mais comum do que você imagina: uma conta atrasada aqui, um gasto mais alto ali e, pronto, as dívidas se acumularam gigantescamente e fica difícil manter os pagamentos em dia não?

A situação é complicada, mas com organização é possível resolver isso e voltar a ter as finanças em dia. Para isso, é importante seguir essas dicas e ficar atento a sua atual situação financeira. Vamos lá!

1. Saiba qual é a real situação das suas dívidas

O primeiro passo para sair do vermelho é saber qual é a real situação das suas finanças e das suas dívidas. Anote tudo que você já gastou e vai gastar, deixe tudo na ponta do lápis para não se perder e saber como lidar com o que tiver a sua frente.

2. Faça uma análise completa do seu orçamento financeiro pessoal

Liste toda as suas dívidas, liste suas receitas, e tudo que tenha que pagar. Organize seu tempo, seu trabalho e até mesmo formas de alongar ou encurtar os prazos de pagamento dessas dívidas, dessa forma você já saí na frente e ganha tempo para solucionar seu problema. Essa análise pode demorar um pouco, mas acredite, depois você vai agradecer pro cada número que escreveu no papel.

Você pode também pode gostar de:

O AceleraMEI é uma das ferramentas que podem te ajudar a colocar suas contas em dia através de um sistema simples e rápido de gestão eficiente.  

3. Priorize as dívidas mais altas

Aquela dívida do cheque especial, aquela empresa que você deve alto com juros mais altos ainda, sabe? Todas os pagamentos e dívidas que forem muito maiores você deve priorizar, pois são os que podem gerar maior complicação. Além disso, faça uma lista de grau de importância de cada dívida, entre Pequenas, médias e altas. Assim a organização fica mais fácil e você escapa da pindaíba mais rápido.

4. Considere trocar uma dívida alta por uma com juros mais baixos

Caso não tenha recursos suficientes para quitar dívidas altas, como cartão de crédito e cheque especial, considere trocá-las por modelos que cobrem juros mais baixos, como um empréstimo consignado ou crédito pessoal. Uma dívida no cartão de crédito, por exemplo, pode cobrar juros de 18% ao mês, enquanto o crédito pessoal tem uma taxa de 10% ao mês.

Coloque na ponta do lápis para avaliar se vale a pena

5. Busque renegociar os débitos com os credores

Depois de saber exatamente quanto deve, há quanto tempo e para quem, é importante buscar renegociar as dívidas com os credores. Antes mesmo de entrar em contato com as empresas, prepare uma proposta de pagamento de acordo com o que você pode pagar, não crie mais dívidas. Tenha em mente que a negociação é positiva para os dois lados, afinal, tudo o que credor quer é receber. Portanto explore a vontade do credor de ter seu dinheiro da melhor forma possível, a limites tranquilos para você quitar.

6. Reorganize-se para evitar novas dívidas

Ter sucesso na renegociação das dívidas não basta. Para ter uma vida financeira saudável, é preciso mudar hábitos e rever sua relação com o dinheiro. Assim, você evita ficar no vermelho novamente. Corte gastos desnecessários, como assinatura de revistas que nunca lê e academia que nunca vai, e mude comportamentos que prejudicam suas finanças, como compras por impulso.

7. Fuja dos parcelamentos

Não precisa dizer por que parcelamentos são ruins certo? São bem “surpresa” no mês e muitas vezes você nem lembra. Além disso os juros altíssimos só pioram a situação fazendo você pagar o dobro ou até o triplo do valor original. fique longe das parcelas!

8. Crie uma reserva de emergência

Depois de sair do vermelho e analisar hábitos que são prejudiciais para suas finanças, dê um passo importante para a segurança financeira: separe todo mês uma quantia para criar um fundo de emergência. Essa reserva, que deve ter valor equivalente a, pelo menos, três meses de gastos, evita que você tenha que recorrer a empréstimos e cheque especial em caso de emergência, como uma doença na família ou obras em casa.

Com planejamento e organização, sair do vermelho é possível. Para não passar por essa situação novamente, investir no controle financeiro e no corte de gastos são dois passos essenciais. Não gaste mais do que ganha e crie uma reservar de emergência para gastos que não foram previstos. Gerencie suas finanças com sabedoria e viva com mais segurança.

Gostou? Então compartilhe para que mais pessoas saibam dessas dicas para sair do vermelho! Vamos lá, é rapidinho e não leva 8 segundos. 😉

  • Facebook (o mais completo)
  • Twitter (o mais ágil) 
  • Google + (o mais indicado para funcionários que querem continuar na Google) 

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.